A melhor Páscoa

“Desta maneira o comereis: lombos cingidos, sandálias nos pés e cajado na mão; comê-lo-eis à pressa; é a páscoa do SENHOR”. Êxodo 12.11

A palavra páscoa vem do hebraico bíblico pesach (פָּ֫סַח), que significa passagem. Refere-se ao momento em que o povo de Israel saiu do Egito em busca da Terra Prometida (Êxodo 12.37-51). Naquele dia, as famílias fizeram sua última refeição no Egito e se prepararam para partir pela manhã em busca da liberdade que tanto sonharam.

Antes de partirem Deus mandou que o povo se alimentasse e comemorassem juntos a saída do Egito. Aquela ceia era preparatória para o início de um novo tempo para o povo de Deus. O cordeiro imolado trazia o perdão dos pecados e proteção para as famílias (Êxodo 12.22-23).

Eles deveriam comer a Páscoa com lombos cingidos, sandálias nos pés e cajado na mão. O que isso significa? 

  • Lombos cingidos representam proteção, visto que deviam estar protegidos do sol no deserto.
  • Sandálias nos pés nos lembram de preparação, pois na caminhada precisavam se preparar para não ferir os pés.
  • Cajado na mão pode simbolizar força devido à necessidade de ter algo para se apoiar nas descidas e subidas.

O tempo da páscoa é o momento ideal para buscar renovação, cingir os lombos buscando proteção, se preparar para não se ferir na caminhada e segurar firme fortalecendo-se em Deus.

O melhor da Páscoa não são os doces e chocolates, mas sim “o cordeiro de Deus que tira o pecado do homem” (João 1.29). Então o melhor da Páscoa é o perdão dos pecados, a união da família e a oportunidade de passar um novo tempo das promessas de Deus.

Rev. Welfany Nolasco Rodrigues

Mensagem pastoral do Boletim de março 2018