A Mulher à luz do propósito de Deus - Rev. Josué Ribeiro Carneiro

Deus, ao criar o ser humano, fez homem e mulher. Nessa unidade inseparável temos a constituição do que chamamos “imagem de Deus”. A perfeita percepção da imagem divina nós a encontramos na relação de reciprocidade e mutualidade existentes entre o homem e a mulher.

Homem e mulher estão sob o senhorio de Cristo. À luz deste senhorio tornaram-se servos uns dos outros no amor e no Senhor. Aqui não existe um sistema de imperialismo nem denominação, mas de relacionamento em mútua cooperação. Ao ser criada a mulher, o homem disse: - Essa, afinal, é o osso dos meus ossos, carne da minha carne... parte do meu todo. A minha auxiliadora, que me complementa e corporifica a perfeita dimensão do ser humano criado à imagem de Deus. A mulher não é objeto do homem, nem sua serva. É parte integrante do que chamamos pessoas. Deus concedeu características e dons pessoais específicos, comuns e diferenciáveis. Ela é agente histórico da vida junto com o homem, com quem compartilha a sua realidade, as suas necessidades e colabora com as suas especificidades.

A mulher, nos dias de hoje, ocupa papel preponderante na vida da família, da igreja e da sociedade. É um dos seus agentes mais significativos, apesar de os meios de comunicação e de inúmeras culturas continuarem usando-a como um objeto. No seio da família tem a mulher se sobrecarregada de encargos e fardos que não tem sido levados e partilhados pelo homem. Em grande parte das famílias ela é cabeça do lar, assumindo sobre si as responsabilidades de mãe e de pai, de mulher e de homem. Poderíamos até dizer: “este é o fiel retrato da mulher metodista”.

 

Rev. Josué Ribeiro Carneiro

Boletim Março 2019